Tempo de leitura: 1 minuto

Menos de 13% das prefeituras do Brasil são comandadas por mulheres e, mesmo assim, elas fizeram grande diferença na gestão da pandemia. Pesquisa realizada pela Insper, em parceria com a Universidade de São Paulo e a Universidade de Barcelona, e divulgada na Folha de S.Paulo (19/7), mostrou que as cidades administradas por prefeitas tiveram proporcionalmente quase 44% menos mortes e 30% menos internações decorrentes da covid-19. O estudo projetou que, se metade do país tivesse prefeitas, 75 mil vidas poderiam ter sido salvas, salientou o G1 (19/7). O site lembrou que, de modo geral, foram os municípios comandados por mulheres que adotaram com mais rigor medidas não farmacológicas de combate à pandemia, como uso de máscaras, obrigatoriedade de testes para entrada nas cidades e proibição de aglomeração.