Radis Comunicação e Saúde
Tempo de leitura: 1 - 2 minutos

Chás, comidas e práticas receitadas pelas parteiras indígenas na Amazônia ganharam registros em vídeo pelas mãos delas mesmas, depois de um curso oferecido pela Fiocruz. O projeto “Segurança Alimentar e Nutricional no Âmbito da Unasul”, da pesquisadora Angélica Baptista Silva, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), promoveu aulas com as parteiras de três etnias indígenas no estado do Amazonas sobre como usar aparelhos celulares — doados pelo projeto — para registrar receitas tradicionais preservadas pela oralidade e passadas de geração a geração. A iniciativa contou com o apoio técnico de Pauliran Freitas, cinegrafista da VideoSaúde Distribuidora, do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde (Icict/Fiocruz) e aconteceu nos municípios de São Gabriel da Cachoeira e de Tabatinga, fronteira entre Brasil e Colômbia. 

O registro dos saberes tradicionais foi feito pelas próprias indígenas em formato de vídeos seriados de até cinco minutos e teve o suporte do CNPq. A iniciativa ressalta que as orientações dadas pelas parteiras são aliadas no combate à insegurança alimentar de bebês e de suas mães. As parteiras são das etnias Baré, Tariana e Tukanos. Elas guardam receitas como: sancocho; shibé, que ajuda na produção de leite materno; caldo de caça que auxilia na visão; assado de curimatã; caribé de beiju; quiampira misturado com tucupi  e chá pós-parto usado para limpar o útero. Ao final de cada vídeo, é possível ver uma tabela de composição nutricional dos ingredientes da receita.

Acesse os vídeos em:  https://bit.ly/2KnQ1ly