Tempo de leitura: 1 - 2 minutos

O Conselho Federal de Medicina atualizou parâmetros para o atendimento de pessoas trans no país (9/1). A principal medida da Resolução CFM nº 2.265/2019 é a redução de 21 anos para 18 anos da idade mínima para que possam ter acesso a cirurgias de afirmação de gênero. O texto também prevê a ampliação do acesso ao atendimento na rede pública e estabelece critérios para maior segurança na realização de procedimentos.

Pela resolução, a atenção integral à saúde do transgênero deve contemplar todas as suas necessidades, garantindo seu acesso, sem qualquer tipo de discriminação, aos serviços nos níveis das atenções básica, especializada e de urgência e emergência.

Uma diferença importante entre o novo texto e o anterior é que o atualizado contempla questões como a realização de bloqueio puberal (interrupção da produção de hormônios sexuais), que é considerado ainda experimental, e de hormonioterapia cruzada (forma de reposição hormonal na qual os hormônios sexuais e outras medicações hormonais são administradas ao transgênero para feminização ou masculinização), que antes não eram previstas.