Fotografia: PXHERE/Creative Commons.

A própria casa é o lugar mais perigoso para as mulheres, revelou relatório divulgado (26/11) pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC, na sigla em inglês). De um total de 87 mil mulheres intencionalmente mortas em 2017, mais da metade (58%) foi assassinada por atual ou ex-parceiro ou membro da família —geralmente homens.
A violência praticada contra elas não é ocasional e resulta de repetidos abusos, alertou a entidade ligada à Organização das Nações Unidas: “A morte é, frequentemente, o ápice de uma história longa de violência que pode ser prevenida”. Leia o relatório (em inglês) em bit.ly/2rANn2B

 

Radis196 grafico feminicidio