Radis Comunicação e Saúde

Tempo de leitura: 1 minuto

“Tem muita gente que suspendeu projetos e atividades. As pessoas acham que basta mudar o calendário. Quem está apenas adiando compromisso, como se tudo fosse voltar ao normal, está vivendo no passado […]. Temos de parar de ser convencidos. Não sabemos se estaremos vivos amanhã. Temos de parar de vender o amanhã”, adverte Ailton Krenak, um dos maiores pensadores indígenas da atualidade. As reflexões de Krenak sobre a pandemia de covid-19 estão no seu mais recente livro, “O amanhã não está à venda” (Companhia das Letras), disponível gratuitamente em sua versão digital no site da Amazon. Na obra, Krenak critica a ideia de “normalidade” que, segundo ele separa o homem da natureza e promove desigualdades, e propõe mudanças significativas e profundas no modo como vivemos. Saiba como baixar o livro em https://amzn.to/2VGaYgY