Tempo de leitura: 1 - 2 minutos

De Abdias do Nascimento a Zumbi dos Palmares. A Enciclopédia Negra (Companhia das Letras), lançada em abril, reúne 416 verbetes biográficos que encenam um reencontro do Brasil com a memória silenciada de milhões de pessoas negras. Os historiadores Flávio dos Santos Gomes e Lilia Moritz Schwarcz, juntamente com o artista visual Jaime Lauriano, passam em revista a história do país, da colonização aos dias atuais, a fim de restabelecer o protagonismo negro de mais de 550 personagens. São profissionais liberais; mães que lutaram pela alforria da família; ativistas e revolucionários; curandeiros e médicos; líderes religiosos que reinventaram outras Áfricas no Brasil, pessoas até então invisibilizadas pela historiografia e por privilégios sociais brancos.

Um caderno de imagens traz retratos inspirados pelos verbetes desta enciclopédia, criados por 36 artistas negros. As 103 obras especialmente produzidas para o projeto foram doadas à Pinacoteca de São Paulo, onde estão expostas até 8 de novembro. Há registros de quem liderou movimentos de resistência; negociou condições de emprego e de vida; das mulheres que tiveram de ser separadas de seus filhos; das que, com seu trabalho, conseguiram comprar as alforrias; dos mestres curandeiros, professores, advogados, artistas, entre outros. Com a exposição, o número de obras de artistas negros na Pinacoteca passou de 26 para 129.