Radis Comunicação e Saúde

Fotografia: Reprodução.

Tempo de leitura: 2 - 4 minutos

O SARS-CoV-19 chegou ao Brasil em fevereiro desteO SARS-CoV-19 chegou ao Brasil em fevereiro desteano e, em março, foi confirmada a transmissãocomunitária no país. Desde então a AssociaçãoBrasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) entendeua gravidade da situação e seu papel enquanto sociedadecientífica da área de saúde coletiva no trabalho junto a outrasorganizações da sociedade civil para proteger a saúde dapopulação brasileira.

Assim sendo, em 7 de abril demos início à Ágora Abrasco,Assim sendo, em 7 de abril demos início à Ágora Abrasco,uma estratégia de comunicação centrada em debates transmitidospelo YouTube, trazendo para as telas pesquisadores,líderes comunitários, representantes de movimentos sociais,gestores e parlamentares, com a perspectiva de fortalecero campo da saúde coletiva emtodas suas interfaces e de promoverinteração com o público,visando informação de qualidadesobre a pandemia para asociedade.

Ao mesmo tempo, sociedadesAo mesmo tempo, sociedadescientíficas e demais entidadesda sociedade civil iniciaramum movimento denominadoFrente pela Vida, que teve comomarco inicial a Marcha pelaVida. Realizada em 9 de junho,a atividade teve a adesão demais de 600 organizações e culminoucom a entrega oficial doManifesto da Frente pela Vidano Congresso Nacional.

Dando sequência a esteDando sequência a estemovimento, a Abrasco e demaisorganizações da saúde coletiva,como o Centro Brasileiro deEstudos de Saúde (Cebes); aAssociação Rede Unida, e aSociedade Brasileira de Bioética(SBB), entidades que sempre lutaram pela saúde como direitouniversal de cidadania, juntas com o Conselho Nacional deSaúde (CNS), entenderam que era necessário a mudança decurso da pandemia e agregaram outras entidades da áreada saúde para a elaboração de um Plano, batizado PlanoNacional de Enfrentamento à Covid-19.

Mais de 60 pesquisadores e 14 entidades científicasMais de 60 pesquisadores e 14 entidades científicasajudaram a elaborar uma detalhada e sistemática análise dasinterfaces relevantes da pandemia, organizadas em 70 recomendaçõesestratégicas e técnicas dirigidas às autoridadespolíticas e sanitárias, aos gestores do SUS e à sociedade emgeral. Em 3 de julho, este Plano foi lançado publicamente eentregue às comissões do Congresso Nacional, ao Ministérioda Saúde e a outras instâncias do SUS.

É importante destacar que as propostas apresentadasÉ importante destacar que as propostas apresentadasno Plano consideram que a pandemia atingiu o Brasilnum momento de reformas antipopulares, centradas naausteridade fiscal e na redução do papel do Estado naeconomia. Políticas de austeridade já vinham fragilizandoa estrutura de proteção social e desfinanciando o SUS. Aampliação de recursos financeiros é fundamental para ajustara capacidade de resposta do sistema público de saúdeà pandemia, bem como assegurar urgência nas medidasproativas de promoção e geração de emprego e de proteçãosocial aos trabalhadores eprioridade às populações maisvulnerabilizadas.

Portanto, o controle efetivoPortanto, o controle efetivoda pandemia tem queconsiderar a existência de umsistema articulado e integradode estratégias, táticas e ações,destinadas a viabilizar métodosde controle dos processos epidêmicos,cuja funcionalidade eefetividade dependem de planejamentoeficaz, gestão competentee coordenação fina esensível. Sua viabilidade, numcontexto de tão grande complexidade,está na capacidadede mobilização da população,incluindo usuários, profissionaise gestores num regime decoesão firme e solidária.

A omissão do governo federal no enfrentamento desta gravíssima crise sanitária deveria ser cobrada por toda a sociedade. Gulnar Azevedo e Silva

Com este plano deixamosCom este plano deixamosclaro que a omissão do governofederal no enfrentamentodesta gravíssima crise sanitáriadeveria ser cobrada por toda a sociedade. Estamos ampliandoa nossa discussão e realizando inúmeros fórunsvirtuais em universidades, programas de pós-graduação,movimentos populares, comunitários e sociais espalhadospelas periferias de nosso país.

A Frente Pela Vida segue nesse trabalho de mobilização,A Frente Pela Vida segue nesse trabalho de mobilização,exigindo uma ação pública governamental urgente paraevitar que mais brasileiras e brasileiros percam suas vidas,e assim combater o sofrimento de nossa população. Oplano está disponível no site da Frente Pela Vida: https://frentepelavida.org.br/

■ Professora titular do Instituto de Medicina Social da UERJ e presidente da ABRASCO (Associação Brasileira de Saúde Coletiva) *