Menu

A escritora maranhense Maria Firmina dos Reis (1822-1917) foi a grande homenageada da Festa Literária Internacional de Parati (Flip), que aconteceu, no Rio de Janeiro, em novembro. Filha de uma mulher negra alforriada, ela é autora de Úrsula, romance que inaugura no Brasil a linhagem de uma literatura abolicionista. Uma boa dica para conhecer a produção da escritora é o livro A escrava, lançado pela editora Hedra, que reúne a novela Gupeva e 32 poemas, além do conto que dá nome ao livro.

Sem comentários
Comentários para: Vidas negras

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anexar imagens - Apenas PNG, JPG, JPEG e GIF são suportados.

Leia também

  1. Livro
Em seu livro mais recente, o filósofo Bruno Latour parte de uma perspectiva ecológica para compreender as transformações de nossa época. “Onde aterrar? Como se orientar politicamente no antropoceno” (Editora Bazar do Tempo), lançado em 2020, traz uma análise do contexto geopolítico contemporâneo, partindo da conexão entre fenômenos raramente relacionados: o afrouxamento das regulamentações governamentais, […]
Próximo

Radis Digital

Leia, curta, favorite e compartilhe as matérias de Radis de onde você estiver
Cadastre-se

Revista Impressa

Área de novos cadastros e acesso aos assinantes da Revista Radis Impressa
Assine grátis