Menu

Nas filosofias africanas, os mais velhos são considerados mais sábios, porque já viveram mais — isso não significa que sejam incompatíveis com as novidades do tempo presente. Para promover esse encontro entre a produção de ancestrais intelectuais afro-brasileiros e as tecnologias contemporâneas, sejam elas digitais, sociais, educacionais ou outras, o livro Griots e Tecnologias Digitais traz nomes como Lélia Gonzalez, Zélia Amador de Deus, Milton Santos, Sueli Carneiro e outras para discutir temáticas tecnológicas. Questões como reconhecimento facial, governança da internet, ativismos digitais, decolonialidade tecnológica, formação de identidades e comunidades online entram na roda. Em 11 capítulos, autoras e autores referenciam e reverenciam ancestrais para fortalecer os caminhos pela justiça social e racial no Brasil. O livro, disponível em acesso aberto, tem organização de Thiane Neves Barros e Tarcízio Silva e conta com prefácio de Zelinda Barros e posfácio de Paulo Victor Melo. Para baixar: https://bit.ly/livrogriots.

Sem comentários
Comentários para: Griots e tecnologias

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anexar imagens - Apenas PNG, JPG, JPEG e GIF são suportados.

Leia também

  1. Livro
Em seu livro mais recente, o filósofo Bruno Latour parte de uma perspectiva ecológica para compreender as transformações de nossa época. “Onde aterrar? Como se orientar politicamente no antropoceno” (Editora Bazar do Tempo), lançado em 2020, traz uma análise do contexto geopolítico contemporâneo, partindo da conexão entre fenômenos raramente relacionados: o afrouxamento das regulamentações governamentais, […]
Próximo

Radis Digital

Leia, curta, favorite e compartilhe as matérias de Radis de onde você estiver
Cadastre-se

Revista Impressa

Área de novos cadastros e acesso aos assinantes da Revista Radis Impressa
Assine grátis